O Treino Funcional é uma tendência do fitness desde 2007 (ACSM), mas a maioria das pessoas ainda tem dúvidas sobre o que é e quais os seus benefícios. Será o treino funcional um treino em circuito cujo objetivo é queimar o máximo de calorias possível? Será que o treino funcional emagrece ou faz aumentar a massa muscular? Ao longo deste artigo iremos responder a algumas questões sobre este tema.


Antes de responder à pergunta que paira no ar (o que é o treino funcional?), queremos que pense sobre quais os motivos que o levam a treinar. Certamente que o que o leva a treinar será diferente do que leva outras pessoas. Pensemos nisso durante algum tempo.

Apesar dos diferentes motivos, podemos concluir que, na maioria dos casos, existem três que nos levam a treinar. São eles a aparência física, o facto de o exercício físico nos fazer sentir bem e a melhoria da performance. É sobre este último aspeto que o treino funcional se debruça.


O que é então o treino funcional? É um tipo de treino que envolve todo o corpo, preparando-o para desempenhar as tarefas da vida quotidiana. Tem como principais objetivos melhorar a forma como o corpo se move e funciona, melhorar a força ao longo dos padrões de movimento e aumentar a performance física.
Se pensarmos bem no conceito base do treino funcional, percebemos que não se trata de um conceito novo. Os nossos antepassados dependiam da resistência, agilidade, equilíbrio, força do core, coordenação neuromuscular e de outras capacidades funcionais para sobreviver. Podemos então questionar o porquê de ser uma tendência do fitness. Com o desenrolar da era tecnológica, precisámos cada vez menos de utilizar padrões de movimento multidirecionais. Isto levou à existência de um aumento do número de lesões relacionadas com cadeias de movimento repetitivas e, consequentemente, a um condicionamento inadequado para realizar as atividades do dia-a-dia.
Foi neste sentido que o treino funcional apareceu como tendência do fitness, respondendo de forma mais adequada às necessidades atuais do que o treino convencional.


Pode-se afirmar que o treino funcional tem 5 benefícios inerentes e são eles a prevenção de lesões, a melhoria da mobilidade, a força a aplicar no dia-a-dia, a performance atlética e a melhoria da forma física. Analisemos cada benefício:
• Prevenção de Lesões – O treino funcional melhora a força e a estabilidade em vários movimentos, o que deixa as articulações protegidas e os músculos mais resistentes a lesões comuns;
• Melhoria da Mobilidade – Treinar ao longo do padrão de movimento assegura que as articulações se movem em todo o grau de movimento, o que permite à pessoa desenvolver força nesse mesmo grau de movimento. Esta é a chave para manter a função das articulações;
• Força a aplicar no dia-a-dia – O treino funcional melhora a capacidade de executar tarefas do dia-a-dia, contrariamente ao que se faz com o treino convencional. Aumentar o músculo de forma isolada não traz grandes benefícios fora do ginásio;
• Performance atlética – Os ganhos de força, estabilidade e qualidade de movimento vão melhorar todo o corpo, o que permite que a capacidade atlética aumente;
• Melhoria da forma física – O treino funcional tem um propósito bem guiado, mas também é divertido e variado, o que ajuda a manter a motivação. Como trabalha o corpo como um todo, de forma equilibrada e funcional, permite que as melhorias sejam feitas de forma sustentável e mais duradoura.


Analisando o conceito de treino funcional, o porquê do seu aparecimento nos dias de hoje e quais os benefícios inerentes à prática, podemos concluir que este método se tornou de extrema importância para quem quer ter um corpo equilibrado no seu todo e capaz de executar as tarefas mais simples do dia-a-dia de forma eficaz.