Comecemos por definir o que é a Osteoporose, bem como o que é o treino de força.

De acordo com a literatura (Anatomia & Fisiologia, Seeley Stephens), osteoporose consiste na diminuição global da quantidade do tecido ósseo. A perda de massa óssea torna os ossos porosos e frágeis, estes deformam e fraturam espontaneamente. A ocorrência de osteoporose aumenta com a idade. Tanto nos homens como nas mulheres, a massa óssea começa a diminuir por volta dos 35 anos de idade e diminui continuamente daí em diante. Esta perda pode aumentar cerca de 10 vezes na mulher, após a menopausa.

Relativamente ao treino de força, e segundo as diretrizes do American College of Sports Medicine (ACSM, 2017), o mesmo consiste na realização de certos exercícios que utilizam a contração voluntária da musculatura esquelética contra alguma forma de resistência, que pode ser conseguida por meio do próprio corpo, pesos livres ou máquinas. De todos os benefícios do treino de força, vamos falar apenas do aumento da massa óssea e consequente prevenção da osteoporose. Para Fleck & Kraemer (1999), a força é um fator importante para as capacidades funcionais, e a ausência deste estímulo resulta na fraqueza dos músculos e pode avançar até que a pessoa com maior idade não consiga realizar as atividades comuns da vida diária. O treino de força muscular, mais que o treino aeróbio, diminui os efeitos negativos do envelhecimento sobre as variáveis neuromusculares, e proporciona à pessoa que pratica a possibilidade de ser funcionalmente independente, além de reduzir a incidência de fraturas ósseas (Guedes, 2017).

O mais recente posicionamento do ACSM (2017) reforça que o treino de força é importante e que a sua prática regular desenvolve e mantém as estruturas muscular e óssea. A ACSM recomenda que, na prática, sejam feitos de 8 a 10 tipos de exercícios de uma intensidade de 60 a 80% de uma repetição máxima (1 RM), de 8 a 12 repetições por exercício e uma regularidade de 2 a 3 vezes por semana. Segundo Teixeira (2008), seja qual for o meio em que o indivíduo com osteoporose pratique uma atividade física, é importante que em todo o programa de reabilitação ou treino físico seja enfatizado o fortalecimento muscular dos extensores da coluna vertebral, flexores do coxa e extensores do joelho, pois estes grupos musculares estão diretamente ligados à prevenção e reabilitação de fraturas osteoporóticas, embora, naturalmente, dependa de cada caso e das articulações afetadas.

Desta forma, aconselha-se a todas as pessoas que continuem a praticar treino de força, mesmo numa idade mais avançada, visto que os benefícios são óbvios e essenciais para manter um estilo de vida saudável e ativo.

No caso das mulheres pós-menopausa, a importância de praticar este tipo de treino torna-se ainda mais relevante. Como foi referido acima, a tendência para desenvolver osteoporose é muito superior nesta fase, e uma das formas de prevenir esta condição é fazer treino de força, pelo menos 2 a 3 vezes por semana.

Conte connosco para o ajudar na prescrição e acompanhamento dos seus treinos!