O RPM é uma aula de grupo que utiliza o método de treino intervalado de alta intensidade. Isto significa que existem repetições de picos de exercício e estes picos são de curta a média duração, com uma intensidade acima do limiar anaeróbio.

Muito provavelmente está a perguntar-se o que é o limiar anaeróbio. O limiar anaeróbio é definido pela intensidade a partir da qual se verifica um aumento gradual da acumulação de ácido lático nos músculos, e em que ocorre a transição do metabolismo oxidativo (aeróbio) para o metabolismo parcial anaeróbio (Santos, 2002). Se estiver a treinar abaixo do limiar anaeróbio, o principal substrato energético que está a usar são os lípidos (oxidação lipídica). Por outro lado, se estiver a treinar próximo do limiar anaeróbio (75%-85% Fcmáx) ou acima deste, irá estar a gastar mais calorias durante o treino para a mesma duração de tempo, bem como existirá um consumo adicional de oxigénio após o treino (EPOC), aumentando assim o metabolismo e permitindo um aumento no total de calorias gastas consequente da aula.


Esta é uma modalidade que tem imensos benefícios. Para além de ser uma aula divertida e na qual são utilizadas músicas motivantes, caracteriza-se pelo dispêndio calórico elevado. Segundo Lythe & Pfitzinger (2000), a modalidade de RPM permite gastar entre 600 a 700 calorias numa aula de 45 minutos. Claro que este valor é dependente de características fisiológicas individuais como a idade, o género, a frequência cardíaca (FC) de repouso, a variabilidade da FC, a experiência de treino, entre outras. Daí ser fundamental a utilização de cardiofrequencímetro para controlar individualmente o seu treino e medir a sua progressão e sucesso.


Em termos de condição cardiovascular, foi demonstrado que nas aulas de RPM os alunos chegam a atingir frequências cardíacas entre os 65-90% FC máxima, podendo assim ao longo das aulas melhorar a sua condição física cardiovascular, o que está associado a benefícios como a redução da pressão arterial e do colesterol total e a melhoria da função cardíaca. Mais uma vez, estes valores são mensurados se tiver cardiofrequencímetro. Desta forma, pode ter acesso ao intervalo de FC correspondente a uma intensidade leve, moderada ou vigorosa.


Concluindo, se tiver pouco tempo de treino e se se sentir apto a desafiar-se num treino intervalado, o RPM é a solução certa. Os ganhos associados à sensação de bem-estar e descontração, derivados de um espírito de equipa e músicas enérgicas e contagiantes, farão o seu dia. A possibilidade de diminuir a massa gorda proporcionará que sinta e veja a sua definição muscular. Imagine se complementar este treino com o treino de força. Todos os fatores enunciados anteriormente dependem não só das suas características individuais, mas também da frequência de treino, do nível de condição física e sobretudo do seu empenho durante a aula. Estas mudanças em termos corporais serão sentidas mais rapidamente se forem realizadas entre 2 a 3 aulas de RPM por semana.

Aproveite o início do desconfinamento para voltar a praticar a sua aula favorita. Esperamos por si!