A hipertensão arterial é a doença crónica que apresenta maior prevalência no mundo. Em Portugal, esta disfunção é a segunda causa de morte com uma prevalência de 42%. Este problema está diretamente associado a estilos de vida sedentários, maus hábitos alimentares ou tabagismo.


A hipertensão é definida como uma doença crónica caracterizada pelo aumento anormal, e por longo período, da pressão exercida sobre as artérias no nosso corpo e, por usa vez, a resistência nas paredes das artérias a essa pressão. A sinergia entre esses dois valores, define-nos a pressão arterial. Considera-se hipertensão quando os valores da PAS (pressão arterial sistólica) são superiores a 140 mmHg e/ou os valores de PAD (pressão arterial diastólica) são superiores a 90 mmHg (American College of Sports Medicine, 2017).


Estudos demonstram que o exercício regular reduz a incidência de hipertensão arterial, reduzindo a PAS e PAD em cerca de 10 mmHg e 7,5 mmHg, respetivamente. A diminuição da tensão por adaptação ao esforço é justificada pela diminuição da resistência vascular periférica ao fluxo sanguíneo, melhor circulação de retorno e pelos mecanismos vasodilatadores que se sobrepõem aos mecanismos vasoconstritores.


Um estilo de vida saudável influencia drasticamente a prevenção da hipertensão, momeadamente através de trabalhos aeróbios que aumentem gradualmente a frequência cardíaca, induzindo a libertação de óxido nítrico (substância vasodilatadora). Apesar do trabalho aeróbio ser o mais recomendado, não significa que não treine força e mobilidade. Pelo contrário, eles completam-se. Ainda assim, este deve ser feito com baixa intensidade (40 a 60% RM) e muitas repetições (entre 15 a 30 repetições). Deve também fazer um aquecimento de mobilização e ativação neuromuscular de forma progressiva e um retorno à calma com alguns exercícios estáticos (Raposo, 2007).
Para além do exercício, deve considerar a diminuição do consumo de sódio (principal componente do sal de cozinha), não fumar e encontrar estratégias para aliviar o stress do dia-dia.


IMPORTANTE: Não pratique exercício se os valores da PAS forem superiores a 200 mmHg ou PAD superiores a 110 mmHg (ACSM, 2017).

Mantenha-se saudável e ativo!