A fruta é um grupo de alimentos com elevado valor nutricional e com sabor, aroma, entre outras caraterísticas organoléticas atrativas, fatores que a tornam um grupo de alimentos de fácil aceitação nas diversas fases do ciclo de vida.
Está provado que a ingestão adequada de fruta, reduz o risco de algumas doenças como, por exemplo, as cardiovasculares, o cancro do estômago e colo-retal, a obesidade e a diabetes. Na verdade, o consumo de fruta, enquadrado num estilo de vida saudável, garante o aporte de nutrientes essenciais para a saúde.
A fruta é composta por água, hidratos de carbono, fibra, vitaminas e minerais. A quantidade de hidratos de carbono da fruta é variável, depende da variedade e do grau de maturação. A água na fruta varia entre 75-95%, sendo um dos seus principais constituintes. A fibra solúvel é um dos nutrientes que mais se destaca na fruta, o seu teor varia com o tipo de fruta e é influenciado pela ingestão da casca, local onde se verifica maior concentração. A fruta é rica em vitaminas e minerais, que são extremamente importantes para a regulação do organismo. Destacando-se as Vitamina A, E, C, B1, B2, B3 B6 e B9 e os minerais Sódio, Cálcio, Ferro, Potássio, Fósforo e Magnésio.
Segundo a Roda da Alimentação Mediterrânica a ingestão de fruta deve ser de 3 a 5 porções por dia. 1 porção de fruta corresponde a uma peça de fruta de tamanho médio (160 g).
Quando compramos fruta da época estamos a beneficiar da riqueza nutricional do alimento no seu auge, ou seja, é a melhor forma de aproveitar tudo o que este alimento tem para dar!
Para além de todas as vantagens nutricionais optar pela sazonalidade tem outra vantagem. Consegue, por exemplo, tirar melhor partido da relação entre a qualidade e o preço.
Para poupar, pode optar por mercados locais, dando preferência aos produtores da sua zona. Desta forma está também a beneficiar a economia regional, a apoiar os produtores e, ao mesmo tempo, encontrar fruta economicamente acessíveis.
Optar por fruta da época tem também um impacto ambiental positivo. Atualmente sabe-se que o consumo alimentar é um dos principais contribuintes para o aquecimento global. A própria produção e o transporte dos alimentos são os maiores contribuintes para esta emissão.
Por exemplo, uma banana proveniente da América Central poderá ter que viajar cerca de 8000 Km, enquanto que se for proveniente da ilha da Madeira percorre aproximadamente 970 Km, podendo ter um impacto ambiental substancialmente diferente.
Além disso, o consumo de variedades locais pode ajudar a manter a biodiversidade destes alimentos e ajudar os agricultores a manterem as suas produções.
Pode encontrar o calendário de produção nacional das diversas variedades de frutas e hortícolas no Nutrimento, um blog sobre alimentação saudável da responsabilidade da DGS. https://nutrimento.pt/noticias/saiba-quais-as-frutas-e-horticolas-desta-epoca/
Por tudo isto, por si e pelos seus, inclua a fruta da época na sua alimentação!

Nutricionista Andreia Aidos (2506N)

Referências:
https://nutrimento.pt/noticias/dia-da-producao-nacional-escolha-alimentos-locais-da-epoca/
https://nutrimento.pt/noticias/aumenta-o-numero-de-adolescentes-portugueses-que-raramente-ou-nunca-consomem-frutas-e-horticolas/
https://www.apn.org.pt/documentos/ebooks/AW_EBook_ColherSaber.pdf