No contexto da grave crise de Covid-19 que se vive nos dias de hoje, agora mais do que nunca, devemos priorizar os bons hábitos alimentares nas crianças.
Faça escolhas saudáveis e vigie os hábitos alimentares da criança, pois se ela insistir em comer sempre os mesmos alimentos, (porque é a única forma de comer), pode estar a dificultar a introdução de novos alimentos. Recorde-se que é importante variar a alimentação por forma a contribuir para o crescimento e desenvolvimento das crianças, através da ingestão de vitaminas e minerais que estão naturalmente presentes nos alimentos.
Nesse sentido deixo algumas dicas para aplicarem no dia-a-dia:

  • Procure respeitar e manter os horários habituais e respeite o horário das refeições principais.
  • Cuidado com as horas passadas à frente de um ecrã e não se esqueça que a publicidade alimentar dirigida às crianças e adolescentes é maioritariamente de alimentos hipercalóricos e muito pobres do ponto de vista nutricional. Apesar de já se terem implementado restrições, pois desde 2019 foram impostos limites à publicidade a bebidas e alimentos nocivos para a saúde, estando restritos anúncios desse âmbito em programas televisivos e radiofónicos nos 30 minutos anteriores e posteriores a programas infantis e a programas televisivos que tenham um mínimo de 25% de espectadores com idade inferior a 16 anos.
  • Elabore uma ementa semanal, de Segunda a Domingo, de preferência em família, assim estará a contribuir para o envolvimento de todos lá de casa, organizando muito mais as idas ao supermercado.
  • Não se esqueça de incluir peixe na sua ementa. O peixe deve fazer parte da alimentação dos mais pequenos. Lembre-se que quanto mais cedo introduzir o peixe na dieta alimentar das crianças, mais depressa elas se habituam ao seu consumo regular.
  • Sempre que puder, cozinhe em família, mostre os legumes e hortícolas que vai incluir na sopa e ensine o nome dos mesmos.
  • Além da sopa, há que incluir os legumes no prato principal como acompanhamento da refeição, muitas das vezes não é bem aceite pelas crianças e adolescentes, então há que ser criativo e confecionar os hortícolas e legumes de outras formas. Porque não um puré de ervilhas e cenoura ou até mesmo os célebres “peixinhos da horta” feitos com aveia, no forno, ao invés da fritura.
  • Há jogos divertidos que podem estimular a curiosidade dos mais pequenos, como por exemplo colocar uma venda nos olhos da criança para que ela possa descobrir qual a fruta e/ou legume através do tato e do paladar.
  • Escolha fruta como sobremesa para assegurar a presença indispensável de vitaminas.
  • Não se esqueça de manter uma boa hidratação, como tal coloque a água simples ou água aromatizada com fruta, na garrafa predileta da criança e minimize ao máximo refrigerantes e outras bebidas açucaradas.

No geral estimule na criança uma alimentação variada, equilibrada e completa e respeite a roda dos alimentos. Tenha em conta que todos os grupos de alimentos são necessários, em quantidades diferentes. Respeite as porções para cada faixa etária e se tiver dúvidas quanto à porção ideal procure um Nutricionista. Mantenha-se também ativo e incentive os mais novos à prática do exercício físico, começando desde já a fazê-lo em família!

Nutricionista Ana Henriques Silva (3512N)