Segundo Szuster (2011) “a dança enquanto atividade física tem muitos benefícios: melhora a elasticidade muscular, melhora os movimentos articulares, diminui o risco de doenças cardiovasculares, problemas no aparelho locomotor e sedentarismo, reduzindo o índice de pressão”.


A procura pela dança tem sido crescente e um dos motivos é o facto das pessoas estarem acima do peso normal e quererem meios para alcançar resultados que promovam a autoestima, visando assim uma boa aparência da sua imagem corporal. A disposição de quem pratica atividade física pode aumentar, facilitando a realização de tarefas diárias, sem dar espaço ao sedentarismo e até mesmo às doenças.


Mas para além dos benefícios físicos, a dança está associada a benefícios psicológicos e emocionais.
De acordo com a Dra. Marta Martins, muitos praticantes de dança apresentam ao longo do tempo menores sintomas depressivos e maior vitalidade. Para pessoas mais tímidas é difícil libertarem-se ao início, mas quando o fazem, verifica-se um aumento da autoestima e da confiança em si mesmos e nas suas capacidades. De acordo com a mesma Psicóloga, a Dança promove também o desenvolvimento da atenção, raciocínio e memória.


No entanto, a dança continua a ter alguns problemas relativos à aceitação por algumas populações, por desvalorizarem a prática e o seu registo. As pessoas predispostas a iniciar esta prática têm de desligar a “não aceitação” e opinião dos outros para não influenciar a decisão. A dança está relacionada com o bem-estar e, se a pessoa pretende avançar em algo, independentemente do que se trata, ela sentir-se-á bem, proporcionando alegria e diversão. A pessoa estando alegre, automaticamente tem uma autoestima elevada e, esse fator já é bastante importante na conceção de convívio social e no combate à depressão, que atualmente tem sido um problema de saúde na vida de várias pessoas.


As pessoas quando dançam esquecem-se dos problemas diários, desinibem-se e esquecem até mesmo as suas próprias limitações, pois o ato de dançar é viver feliz sem se preocupar com o mundo ao seu redor. Para além de todos os benefícios físicos ou psicológicos, o melhor da dança é a boa disposição. É praticamente impossível dançar sem sorrir. Quando dança, a mente e o corpo concentram-se unicamente nesta divertida atividade física.


Há vários tipos de dança, desde a clássica até à moderna, sendo que as pessoas se identificam mais com os que têm mais facilidade em praticar. Mas pode dançar qualquer estilo ou género musical, não importa como o faz! Dançar é um bom exercício até mesmo para pessoas fisicamente pouco ativas.
Se nunca experimentou uma aula de dança, esta é uma boa altura para o fazer.


A Dança é para todos e é para si!