Cultivar uma horta em casa é sinónimo de saúde. É um incentivo para incluir mais vegetais na sua alimentação quotidiana, é uma ótima atividade para fazer com crianças e é também um trunfo na decoração – seja dentro de casa ou no quintal, é uma forma de acrescentar um toque de verde e deixar o ambiente mais fresco e acolhedor.

A primeira pergunta que surge é onde plantar? Falta de quintal não é motivo para não ter horta! Casas com pouco espaço ou apartamentos também podem ter um cantinho para uma horta – basta escolher um local que receba algumas horas de luz solar direta. Pode plantar diretamente na terra (ideal para quem tem jardim); em vasos, embalagens recicladas, floreiras, caixas de madeira e uma ótima ideia para os apartamentos, as hortas verticais.

Para uma boa horta, é necessário ter atenção a estes 5 passos:

1 – Iluminação – para que as plantas tenham um bom desenvolvimento, devem ter no mínimo, cinco horas de luz solar direta por dia, que pode ser no período da manhã ou da tarde. Não coloque à sombra ou com luz solar indireta.

2 – Irrigação – de uma forma geral, deve regar diariamente ou a cada dois dias. De preferência, no início da manhã ou fim da tarde quando não há incidência de sol sobre a horta. É preciso ter cuidado com o excesso de água, que pode causar o apodrecimento das raízes. É preferível a horta “passar um bocado de sede” do que ter excesso de água. Para evitar o acúmulo, o ideal é optar por vasos com furos no fundo. Uma forma de verificar o excesso de água consiste em passar os dedos na terra. Caso esta ainda esteja húmida, não se justifica nova rega. Também na hora de regar, é importante direcionar a água com proximidade da raiz e evitar virar “por cima”. Isto pode evitar que alguma doença que já esteja nas folhas prolifere para o resto da planta.

3 – Preparação do solo – É preciso garantir que o solo da horta seja rico em nutrientes e matéria orgânica para que as plantas cresçam com saúde e resultem em hortícolas de qualidade. A forma mais prática consiste em adquirir, em lojas especializadas, terras já preparadas (que são mais ricas em nutrientes) e misturar com a terra comum. É essencial misturar com a terra comum, pois esta última ajuda a fixar a água.

4 – Adubação – As adubações podem ser feitas com compostos orgânicos, como borra de café, cascas de banana ou de ovos, ou então com adubos químicos. Isto ajudará a um melhor desenvolvimento da planta.

5 – Variar ao máximo os legumes e ervas aromáticas cultivadas – isto não só é importante para manter a rotatividade das culturas e assim assegurar uma maior riqueza do solo, como vai a nível da sua alimentação conseguir adquirir mais minerais e vitaminas, melhorando a qualidade nutricional da sua alimentação e consequentemente a sua saúde.

Deixo aqui a sugestão de 2 ótimos alimentos para iniciar a sua horta: o tomate cherry que fornece boas quantidades de magnésio, que é essencial para a saúde muscular e óssea, é rico em vitamina C que funciona como um antioxidante e também em potássio, que ajuda a controlar a pressão arterial e a prevenir doenças cardiovasculares. E o cebolinho, que apresenta vitamina A, que é um importante antioxidante, fortalece o sistema imunitário e melhora a visão.

Tiago Neto (3982N)